ANOTAÇÕES DA BÍBLIA

Profeta Ageu

Profeta Ageu


Autor:Ageu, cujo nome significa “Festivo”, foi um dos profetas pós-exílicos, um contemporâneo de Zacarias. Ageu tinha as qualidades de um bom pastor. Em encorajador cuja palavra estava em sintonia com o coração do povo e a mente de Deus, ele foi o mensageiro do Senhor, com a mensagem do Senhor, levando ao seu grupo desanimado a segurança da presença de Deus.

Data: O ministério de Ageu cobriu um período de um pouco menos de quatro meses, durante o segundo reinado do rei Dario, que governou a Pérsia de 522 a 486 aC, Isso localiza Ageu na história em 520 aC.

Contexto Histórico:Ageu em 520 aC, ajuntou aos exilados que haviam retornada à sua terra natal em 536 aC, para reconstruir o templo do Senhor. Eles haviam começado bem, construindo um altar e oferecendo sacrifícios, estabelecendo, então, o fundamento para a Casa do Senhor no ano seguinte. A construção havia cessado, todavia quando os inimigos zombaram dos esforços dos construtores. Mas, o ministério de Ageu e o de Zacarias fizeram com que o povo se reanimasse e completasse a tarefa em cinco anos. O templo reconstruído foi dedicado em 515 aC

Conteúdo:O livro de Ageu trata de três problemas comuns a todos os povos em todos os tempos oferecendo soluções inspiradores.

O primeiro problema: o desinteresse (1.1-15) Para despertá-los da sua atitude de indiferença, Deus fala duas vezes ao povo.

 

Cap.1 :1 a 6 - Primeiro, eles precisam perceber que são infrutíferos (1.5-6), O tempo de construir a Casa do Senhor.O pessoal do retorno, ao abandonar o trabalho do templo, havia começado a construir e reparar as suas casas(1:4).O resultado porém, é que a lavoura estava morrendo, a economia estava ruim, e o vestuário não era apropriado para as condições climáticas da época.Enfim o povo vivia em apertos por se esquecera do seu dever principal.

Ageu, portanto, lhes admoesta dizendo que chegou o tempo oportuno de reiniciar a obra que tinham abandonado. E Deus, pelo seu porta voz, dirige-se principalmente a zorobabel, o governador e Josué, o sumo sacerdote os líderes daqueles dias, em Judá.

 

Cap.1:7 a 11 – O povo é convidado a pensar no passado.Em tudo que aconteceu. Os resultados não foram bons. Sua rebeldia lhes causou muita dor e sofrimento. A conseqüência da sua falta de fé para construção do templo foi uma seca que veio sobre a terra. Não chovia em Judá.

O Senhor lhes disse que lancem mãos à obra; que subam aos montes; busquem materiais e edifiquem a sua casa. Então bênçãos do alto, materiais espirituais voltarão a ter lugar no meio da terra e os seus habitantes.

1.7-9). Porque eles tinham abandonado a Casa de Deus e ido para sua própria casa Todo esforço deles para construir seu próprio reino nunca produzirá resultados permanentes. Após ver seu problema, o povo, então, precisa entender que Deus irá aceitar o que eles fazem a fim de que Deus seja glorificado, se eles entregarem a ele o que eles têm (1.8)

Cap.1:12 a 15 – O povo atende ao Senhor .Isto revela obediência, propósito de uma renovada consagração.Os seus líderes Zorobabel e Josué, foram despertados no seu espírito, organizaram o povo, que também foram animados e reiniciaram a obra tão necessária.

 

O Segundo problema: Desencorajamento (2.1-9) Ageu leva uma mensagem destinada a tratar decisivamente do desencorajamento.

 A solução tem duas partes: uma trata do problema urgente; a outra trata de uma solução a longo alcance.

A outra chave para combater o mal é para os construtores saberem que eles estão construindo para o dia em que Deus encher essa Casa com a glória que será maior do que a Glória do templo de Salomão (2.9)

 

Cap.2:1 a 5 -  Por hora, basta ao povo esforçar-se e trabalhar (2.4). Mais ou menos um mês depois de iniciar a obra, Ageu entrega sua segunda mensagem. No primeiro templo teve muitas opulências, magnífica estrutura, festividades e cerimônias que marcaram a inauguração, por Salomão, e que foi destruído por Nabucodonosor em 587 a.C. Agora eles estavam vendo que não era igual o da primeira. Possivelmente alguns começaram a se desanimar. “Mas Ageu levanta sua voz e declara a Zorobabel, a Josué e ao povo: Sê forte, ânimo, coragem”! Não olhe para trás, mas olhe para frente! E continue a trabalhar. O senhor está convosco..

 Cap.2:6 a 9 –O Senhor diz a Judá que a terra, o céu, o mar, as nações serão abaladas,Toda esta agitação assinalar a volta do Messias. “A glória deste novo templo será maior do que a do antigo”, diz o Senhor dos exércitos. “E neste lugar estabelecerei a paz”, declara o Senhor dos exércitos (Ageu 2:9) Ao transmitir estas palavras a Judá, Ageu procura mostrar que a real beleza do templo será a presença do Senhor.

 

“A glória deste novo templo será maior do que a do antigo”, diz o Senhor dos exércitos. “E neste lugar estabelecerei a paz”, declara o Senhor dos exércitos. Ageu 2:9

 

Neste livro de apenas 38 versículos, a expressão “Diz o Senhor dos Exércitos” ou semelhante, e ocorre 25 vezes. Suas profecias vinham do próprio coração de Deus


          Cap.2:10 a 23 - O terceiro problemas: Insatisfação (2.10-23) Agora que o povo está trabalhando, eles esperam uma inversão imediata de todos os seus anos de inatividade. Então o profetas vai com uma pergunta aos sacerdotes (2.12-13) acerca das coisas limpas e imundas e da influência deles sobre a outra. A resposta dos sacerdotes é que a imundície é infecciosa, enquanto a santidade não é. A aplicação é obvia: Não espere que o trabalho de três meses desfaça a negligência de dezesseis anos. A próxima palavra do Senhor ao povo é uma surpresa: “Mas desde este dia vos abençoarei” (2.19). O povo precisava entender que as bênçãos de Deus não podem ser ganhas como pagamento, mas vão como dádivas graciosas de um Deus doador. Deus escolheu Zorababel para ser um anel de sela (2.23), isto é, para representar a natureza do servo a ser cumprida, finalmente, no mais importante Filho de Zorababel, Jesus. Notar o nome de Zorobabel em ambas as listas genealógicas dos Evangelhos (Mt 1; Lc 3), indicando que a benção final, a maior delas, é uma Pessoa, seu Filho Jesus Cristo.

 

Cap. 2:10 a 19 - É repreendida a infidelidade do povo.Ele aqui cita o contato de amizades com as nações pagãs. Fazia já 16 anos que voltaram do cativeiro, mas ainda tinha costumes e práticas de sua cultura. Os males da velha vida prevaleciam neles.

Considerai o que está acontecendo.O profeta sugere que o povo faça um retrospecto e olhe com muita atenção para os dias em que voltou do cativeiro (2:15)Mas graças a persistência de Ageu, o povo reconheceu a sua grande necessidade, pois viviam tristes e abatidos, sem muito o que comer e pouco para fazer.Considerou bem a sua situação e se santificou ao Senhor. Três meses depois deste episódio, os alicerces do templo estavam completos e agora Judá se achegava a Deus. Por isso o Senhor lhes disse que a partir de então seriam abençoados. As colheitas seriam abundantes e os celeiros ficariam cheios, A videira, a figueira, a romeira e a oliveira dariam seus frutos.

 

Cap.2:20 a 22 – A última mensagem de Ageu é repleta de promessas. O profeta encerra o seu livro tratando do futuro das poderosas nações gentílicas. Serão esmagadas antes do início do reino milenial do Messias de Israel. Ele também aborda de passagem O DIA DO SENHOR e também, a soberania do escolhido de Deus, o Messias. Zorobabel é aqui um tipo do Messias, o escolhido de Deus, representando aqui com o anel de selar, simbolizando autoridade e soberania.

 

Cap.2:23 – Com esta profecia do futuro, Ageu encerra o seu livro. Toda oposição será eliminada e o Messias, o escolhido de Deus, virá com glória e poder, para exercer o seu legítimo direito de Rei e Soberano Senhor sobre o mundo e a casa de Deus será restabelecida em Jerusalém.

 

Ageu foi o primeiro profeta após o retorno dos judeus do cativeiro. Os outros foram Zacarias e Malaquias. Lado a lado com Zacarias, Ageu Procurou motivar o povo a iniciar reconstrução do templo, mas que depois desistira do empreendimento. Ageu não somente colaborou quanto a construção física do templo, mas também quanto ao lado espiritual da reedificação da casa de Deus. Vemos no seu livro, ensinos sobre a necessidade do estabelecimento de prioridades. Nos dias do profeta, o templo, que era o centro religioso e o principal edifício em Jerusalém, estava inacabado. O povo tinha negligenciado a obra mais importante entre eles e estava envolvido noutro negócios. Ageu enviado por Deus, os incentivou a tomar uma nova atitude e a concluir a construção do templo. Esse trabalho, a partir de então, tornou-se a prioridade máxima dos judeus, após sua volta da Babilônia, tudo, graças a esta “pequena”, mas vibrante profecia.

“O pequeno fragmento de grande valor” se divide em quatro mensagens:

*Ageu exorta o povo, e este atende a Deus.

*Ageu encoraja o povo, declarando que Deus está entre eles.

*Ageu leva o povo a meditar na bondade de Deus.

*Ageu assegura ao povo que Deus cumpre suas promessas.

Cristo Revelado

Duas referências a Cristo no Livro de Ageu são destacadas. A primeira é 2.6-9, que começa explicando que o Deus irá fazer no novo templo um dia ganhará uma atenção internacional. Após um transtorno entre os povos da terra, as nações serão levadas ao templo para descobrir o que elas estavam procurando: Aquele que todas as nações desejaram será mostrado em esplendor no templo. A presença dele irá fazer com que a memória do glorioso templo de Salomão decaia, para que somente a glória de Cristo permaneça. Junto com a glória da presença de Cristo virá grande paz, uma vez que o próprio resplendente Príncipe da Paz estará lá.

A segunda referência á vinda do Messias é 2.23. O livro finaliza com uma menção de Zorobabel, que liga esse livro, perto do final do AT, ao primeiro do NT: Zorobabel é uma pessoa listada nas genealogias de Jesus.

O Espírito Santo em Ação

Uma breve mas bonita referência ao ES é encontrada em 2.5. Os versículos anteriores mostram o povo de Deus desencorajado, enquanto comparam o templo que eles estão, agora, construindo com o glorioso templo de Salomão, que o novo templo vai substituir. A palavra do Senhor a eles é: “Esforça-te... E esforçaí-vos.” A motivação para fazer isso também está mencionada: “Porque eu sou convosco.”

Ageu 2.5, então explica como o ES vai interagir com o espírito do povo, a fim de ter o trabalho concluído.

O v. 5 inclui estes importantes pontos:

O ES é uma parte vital no concerto de Deus com o seu povo, “segundo a palavra que concertei convosco.” O ES é um dom constante para o povo de Deus: “E o meu Espírito habitava no meio de vós.” A presença do ES remove o medo do coração do povo de Deus. Portanto: “não temais.”

No centro do concerto de Deus com seu povo, está a constante operação do ES, operando para os libertar do medo, a fim de que eles possam se mover corajosamente no cumprimento da comissão divina.

Leia>>>>>Profeta Zacarias